sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Carta de Eric Hunter Para o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová

Façam o favor de responder a esta carta, especialmente porque será enviada simultaneamente para cerca de cinco pessoas que presentemente são Testemunhas. Se forem capazes de refutar qualquer afirmação que faço aqui, façam-no na vossa resposta e eu enviarei uma carta para as mesmas cinco Testemunhas mencionando esse facto. Eu não desejo participar em desonestidades, por isso podem estar certos que eu tomarei nota e distribuirei qualquer refutação honesta dos meus argumentos. Da mesma forma, se fracassarem em refutar qualquer dos pontos, serão enviadas cartas para estas mesmas Testemunhas, assinalando a vossa incapacidade em refutar estas afirmações. Além disso, quaisquer ataques pessoais maliciosos que me façam, direta ou indiretamente, serão encaminhados para o meu advogado.

Peço-vos que enviem informação a respeito da 'Nova Luz' acerca da geração de 1914, bem como assistência financeira, para o meu pai, Edwin Hunter, que está nas Honduras. Há alguns anos, ele casou outra vez, vendeu todas as propriedades que a família tinha em Rockport, Texas, e mudou-se para o país de Belize, para passar o tempo que resta antes do Armagedom servindo "onde a necessidade é maior". Algum tempo depois desta mudança ele passou a morar nas Honduras e o dinheiro que tinha já desapareceu quase todo.

Não há dúvida que a mudança teocrática do meu pai se baseou na doutrina (que entretanto foi abandonada) acerca da "promessa do Criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914". Esta citação é tirada diretamente da Awake! [Despertai!] de 8 de Agosto de 1994, página 4, debaixo do subtítulo "Porque Despertai! é Publicada..." Tanto quanto sei, esta mesma citação é válida para todas as revistas Awake! [Despertai!] até meados de Novembro de 1995. Por volta desta data, na página 4, sob o mesmo cabeçalho "Porque Despertai! é Publicada...", estas palavras são subtilmente alteradas para a sua forma atual. Citando mais uma vez diretamente a revista Awake! [Despertai!] de 8 de Maio de 1996, na página 4, agora lemos: "Promessa do Criador de um novo mundo pacífico e seguro que está prestes a substituir o atual sistema de coisas perverso e anárquico".

É claro que fizeram esta mudança devido à 'nova luz' que veio na revista Watchtower [Sentinela] de 1.º de Novembro de 1995, página 18:

"Ansiosos por ver o fim deste sistema iníquo, o povo de Jeová no passado especulou algumas vezes acerca do tempo em que a "grande tribulação" se iniciaria, até mesmo ligando isto a cálculos acerca de qual é o tempo de vida de uma geração desde 1914. Contudo, nós podemos ter um coração de sabedoria, não por especular acerca de quantos anos ou dias dura uma geração, mas sim pensando em como "contamos os nossos dias" ao trazer louvor agradável para Jeová."

E no mesmo artigo, na página 19:

Portanto, no cumprimento final da profecia de Jesus hoje, "esta geração" aparentemente refere-se aos povos da terra que veem o sinal da presença de Cristo mas deixam de emendar os seus caminhos."
Portanto, conforme os senhores e eu sabemos, e conforme os vossos seguidores estão a começar a aperceber-se, o Armagedom já não está mais ligado de maneira nenhuma à geração que nasceu literalmente em 1914 ou antes dessa data. A revista Newsweek até publicou um artigo sobre esta mudança doutrinal. A edição de 18 de Dezembro de 1995, página 59, num artigo assinado por Kenneth L. Woodard e Joel P. Engadio, diz:

"Parece que agora todas as apostas sobre o milénio estão fora de moda. Na edição do mês passado da revista The Watchtower [A Sentinela], os líderes da seita reconheceram disfarçadamente que Jesus é que tinha razão quando disse que "ninguém sabe o dia nem a hora." A revista agora deixa subentendido que todas as referências anteriores a tabelas cronológicas para o Armagedom eram especulação e não doutrina fundamentada. O ano 1914 ainda marca o início dos últimos dias. Mas aqueles que esperavam testemunhar a batalha do Armagedom e o estabelecimento do reino de Deus na terra terão de esperar. De agora em diante, qualquer geração que sofra calamidades como a guerra e pragas como a SIDA pode ser aquela que presenciará o tempo do fim. Resumindo, o crescente número de Testemunhas da classe média fariam bem em arranjar um seguro de vida..."

"Representantes oficiais da Watchtower Bible and Tract Society (o título oficial das Testemunhas) negam que a liderança tenha sentido uma pressão das novas gerações para mudar. "O fim ainda está próximo", disse o porta-voz das Testemunhas, Bob Pevy. "Nós é que não podemos pôr números nas palavras de Jesus..."

Depois de ler a carta mais recente que o meu pai me enviou, vejo que ele ainda acredita numa doutrina que vocês próprios já abandonaram. Portanto façam o favor de lhe escrever e informá-lo da mudança na doutrina, para que ele tome agora decisões quanto à sua situação financeira e geográfica. E se não se importam, como foram os vocês as pessoas que lhe pediram que se mudasse e gastasse todo o seu dinheiro com o ensino errado da 'Geração de 1914', mandem-lhe assistência financeira para que ele possa continuar no trabalho de pregação que, segundo o vosso próprio entendimento, pode continuar durante centenas de anos.

O meu pai também disse, numa carta dirigida à minha irmã, que o corpo governante nunca mencionou datas específicas para o Armagedom. Importam-se de lhe dizer que essa afirmação é falsa? Caso precisem de ajuda para se recordarem das vossas predições falhadas, façam o favor de ler as seguintes citações que se encontram nos vossos livros:

O livro Thy Kingdom Come [Venha o Teu Reino, vol. 3 de Studies in the Scriptures (Estudos das Escrituras)], edição de 1891, disse na página 153:

.... com o fim de 1914 A.D., aquela que Deus chama Babilónia, e que os homens chamam Cristandade, terá morrido, conforme já se mostrou a partir da profecia.

A edição de 1906 do mesmo livro disse na página 228:

É evidente que a libertação dos santos tem necessariamente de ocorrer algum tempo antes de 1914.... Não somos diretamente informados quanto tempo antes de 1914 o último membro vivo do corpo de Cristo será glorificado. [negrito acrescentado]

A edição de 1916 do mesmo livro alterou o texto dessa página conforme se pode ver a seguir (as alterações introduzidas relativamente à edição de 1906 estão assinaladas a negrito):
É evidente que a libertação dos santos tem necessariamente de ocorrer algum tempo depois de 1914.... Não somos diretamente informados quanto tempo depois de 1914 o último membro vivo do corpo de Cristo será glorificado.

O livro The Finished Mystery [O Mistério Consumado], de 1917, disse nas páginas 62 e 64, de forma autoritária:

A informação apresentada nos comentários acerca de Rev. 1:1... prova que a Primavera de 1918 trará sobre a Cristandade um espasmo de angústia ainda maior do que aquele que sentiram no Outono de 1914. O despertar dos santos adormecidos, em 1878 A.D., estava a meio caminho (três anos e meio para cada lado) entre o começo dos Tempos de Restituição em 1874 e a terminação da Chamada Celestial, em 1881. A nossa afirmação é que a glorificação do Pequeno Rebanho na Primavera de 1918 estará a meio caminho (três anos e meio para cada lado) entre a terminação dos Tempos dos Gentios e a terminação do Caminho Celestial, em 1921 A.D.

O livro Millions Now Living Will Never Die [Milhões que Agora Vivem Jamais Morrerão], edição de 1920, disse o seguinte nas páginas 89-90:

Conforme declarámos aqui, o grande ciclo dos jubileus está destinado a começar em 1925. Nesse tempo a fase terrestre do reino será reconhecida.... Portanto, podemos esperar confiantemente que 1925 marcará o regresso de Abraão, Isaque, Jacó e dos fiéis profetas da antiguidade, especialmente aqueles mencionados por nome pelo apóstolo em Hebreus capítulo onze, à condição de perfeição humana.
Na página 97 esse livro disse:

Então, com base no argumento aqui exposto, segundo o qual a velha ordem de coisas, o velho mundo, está a acabar e portanto a passar, e que a nova ordem está a chegar, e que 1925 assinalará a ressurreição dos fiéis merecedores da antiguidade e o começo da reconstrução, é razoável concluir que milhões de pessoas agora na terra ainda estarão na terra em 1925. Portanto, com base nas promessas apresentadas na Palavra divina, temos de tirar a conclusão definitiva e indiscutível de que milhões que agora vivem jamais morrerão. [negrito acrescentado]

A Watchtower de 1.º de Setembro de 1922 disse na página 262:
.... toda a Europa é como uma panela a ferver, com a intensidade do calor sempre a crescer. Se alguém que estudou a Bíblia viajar através da Europa e não ficar convencido que o mundo acabou, que o dia da vingança de Deus está aqui, que o reino Messiânico está a chegar, então leu a Bíblia em vão. Os factos físicos mostram de modo inquestionável que em 1914 terminaram os tempos dos gentios, e tal como o Senhor predisse, a velha ordem está a ser destruída pela guerra, fome, pestilência e revolução.

A data 1925 é indicada pelas Escrituras de forma ainda mais distinta, porque é fixada pela lei que Deus deu a Israel. Vendo a atual situação na Europa, perguntamo-nos como será possível aguentar a explosão durante mais tempo; e talvez mesmo antes de 1925 a grande crise seja alcançada e ultrapassada. [negrito acrescentado]

A Watchtower de 15 de Julho de 1924 disse:

Que ninguém seja enganado por cálculos quanto ao tempo em que o Senhor terminará o seu trabalho com a Igreja na terra. O ano 1925 é uma data definitiva e claramente assinalada nas Escrituras, até mais claramente do que a data 1914; mas seria presunção da parte de qualquer dos fiéis seguidores do Senhor dizer que sabe exatamente o que o Senhor fará durante esse ano.

Na Watchtower de Setembro de 1925, página 262, vocês começaram a tentar controlar os danos:

Devemos esperar que Satanás tentará injetar nas mentes dos consagrados o pensamento de que 1925 seria o fim do trabalho. [negrito acrescentado]

Na Watchtower de 1926, página 232 e na Watch Tower de 15 de Fevereiro de 1925, página 57, os senhores lançaram sobre os vossos leitores a culpa pelas vossas predições falhadas, exatamente como fizeram com o incidente 1975 e como estão agora a tentar fazer com a doutrina da geração de 1914:

"Alguns anteciparam que o trabalho terminaria em 1925, mas o Senhor não disse isso."

"A dificuldade surgiu porque os amigos deixaram a sua imaginação ir além da razão; e porque quando as suas imaginações ficaram destroçadas, eles sentiram-se inclinados a lançar tudo fora."
Como é que as vossas publicações descrevem o que se passou em 1925? O 1975 Yearbook of Jehovah's Witnesses [Anuário das Testemunhas de Jeová de 1975] atribuiu o problema, não à organização que publicou a informação, mas sim aos "irmãos" que a leram (página 146):

O ano 1925 veio e foi-se. Os seguidores ungidos de Jesus ainda estavam na terra como classe. Os homens fiéis da antiguidade - Abraão, Davi e outros - não tinham sido ressuscitados para se tornarem príncipes em toda a terra. (Sal. 45:16) Então, conforme Anna MacDonald recorda: "1925 foi um ano triste para muitos irmãos. Alguns deles tropeçaram; as suas esperanças foram despedaçadas. Eles tinham esperado ver alguns dos "merecedores da antiguidade" [homens como Abraão] ressuscitar. Em vez de considerarem que isto era uma "probabilidade", eles interpretaram isso como se fosse uma "certeza", e alguns, na expectativa da ressurreição, prepararam-se para receber os seus entes queridos.
O livro Religion [Religião] disse (p. 336):

As profecias do Deus Altíssimo, cujo cumprimento se torna agora evidente a partir dos factos físicos, mostram que o fim da religião chegou, bem como a completa derrocada de toda a organização de Satanás.... [negrito acrescentado]

A Watchtower de 15 de Setembro de 1941, página 288, disse a respeito da distribuição do livro Children [Crianças]:

Recebendo o presente, as crianças em marcha abraçaram-no, não como um brinquedo para divertimento ocioso, mas antes como o instrumento providenciado pelo Senhor para um trabalho mais efetivo nos meses que restam antes do Armagedom. [negrito acrescentado]

A revista Awake! de 8 de Outubro de 1966 continha um artigo intitulado "Quanto Tempo Ainda Durará?" e debaixo do subtítulo "6.000 Anos Completos em 1975", argumentava que o milênio seria os últimos 1.000 anos de um dia de descanso de Deus de 7.000 anos. A revista disse nas pp. 19-20:

Portanto, o fato de nos estarmos a aproximar do fim de 6.000 anos de existência do homem é de grande significado. Será que o dia de descanso de Deus corre paralelo ao tempo em que o homem tem estado na terra desde a sua criação? Aparentemente, sim. A partir das investigações mais fiáveis em cronologia bíblica, harmonizadas com muitas datas aceites da história secular, descobrimos que Adão foi criado no Outono do ano 4026 A.E.C. Algures nesse ano, Eva pode muito bem ter sido criada, e imediatamente depois começou o dia de descanso de Deus. Então, em que ano terminariam os primeiros 6.000 anos de existência do homem e também os primeiros 6.000 anos do dia de descanso de Deus? No ano 1975. Isto é digno de nota, especialmente em vista do facto de os "últimos dias" terem começado em 1914, e de os factos físicos dos nossos dias em cumprimento da profecia assinalarem esta como sendo a última geração deste mundo iníquo. Portanto, podemos esperar que o futuro imediato esteja repleto de acontecimentos emocionantes para aqueles que depositam a sua fé em Deus e nas suas promessas. Isto significa que dentro de relativamente poucos anos testemunharemos o cumprimento das restantes profecias relacionadas com o "tempo do fim." [negrito acrescentado]

A Watchtower de 1.º de Maio de 1968 continuou com esta estimulação da antecipação. Usando uma argumentação muito similar à do artigo anterior, a revista disse (p. 272):

O futuro imediato está certamente repleto de eventos que conduzem ao clímax, pois este velho sistema está-se a aproximar do fim. Dentro de alguns anos, no máximo, as últimas partes da profecia Bíblica relativas a estes "últimos dias" terão o seu cumprimento, resultando na libertação da humanidade sobrevivente para o glorioso reino de 1.000 anos de Cristo. Que dias difíceis, mas, ao mesmo tempo, que dias grandiosos estão mesmo à frente! [negrito acrescentado]

Analogamente, a revista Awake! [Despertai!] de 8 de Outubro de 1968, na página 13, enfatizou a escassez do tempo:
É altamente significativo o facto de já terem passado cinquenta e quatro anos do período chamado "últimos dias". Significa que só restam alguns anos, no máximo, antes de o sistema de coisas corrupto que domina a terra ser destruído por Deus. [negrito acrescentado]

Em 1996, vinte anos mais tarde, tenho de perguntar: O que é que a frase "o futuro imediato" significa? Quantos anos são "alguns anos, no máximo"?

A brochura de 1969 intitulada The Approaching Peace of a Thousand Years [A Paz de Mil Anos Que Se Aproxima] também foi muito definitiva a respeito de 1975. Nas páginas 25 e 26 disse:

Mais recentemente, pesquisadores honestos da Bíblia Sagrada fizeram um ajuste na sua cronologia. Segundo os cálculos deles, os seis milénios de vida da humanidade na terra terminariam a meio da década de 1970. Assim, o sétimo milénio da criação do homem por Jeová Deus começaria dentro de menos de dez anos....

Para que o Senhor Jesus Cristo fosse "Senhor até do Sábado", o seu reino de mil anos teria de ser o sétimo numa série de períodos de mil anos cada, ou milénios.

Peço que informem o meu pai de que esta lista de citações que reuni é muito abreviada. Esta é, conforme sabem, uma breve lista de citações em que os senhores predisseram, falsamente, a data exata para o Armagedom.

É claro que vocês alegam não ter 'nenhuma habilidade especial para predizer o futuro'. Mas ao mesmo tempo também dizem que são dirigidos por Deus, dizem que são o "único canal de comunicação" de Deus, "o porta-voz de Deus na terra" e a moderna "classe de Ezequiel".

Em que é que ficamos? Vocês são ou não são dirigidos ('inspirados') por Deus? Será que só estão a providenciar o alimento espiritual em algumas alturas enquanto noutras o "único canal de comunicação de Deus" providencia apenas ensinos completamente errados? Se for este o caso, como é que pessoas como o meu pai podem distinguir o que é certo e o que é errado?

Parece-vos que estou a ser áspero? Então respondam por favor às seguintes perguntas:


1.  Porque é que não são honestos a respeito das citações que menciono acima? Por exemplo, ultimamente vocês têm dito que a organização predisse que 1914 seria o "começo dos problemas" para este mundo. Mas, depois de investigar os vossos escritos anteriores a 1914, descobrimos que na realidade o que vocês afirmaram foi que 1914 seria o "fim dos problemas" para este mundo. É a vossa atitude honesta?
2.  Será que a luz brilha mais e mais, ou em vez disso acende e apaga, acende e apaga? Por exemplo, pensem nas mudanças que fizeram na questão de saber se os homens de Sodoma serão ou não ressuscitados. Vocês alegaram ter recebido 'nova luz' neste assunto em meados dos anos cinquenta, mas de facto essa 'nova luz' era o que C. T. Russell ensinava até que veio Rutherford1 com a sua 'Nova Luz' e mudou os ensinos de Russell neste tópico. Portanto, por outras palavras, foi 'velha nova luz'. Confusos? Vocês deviam estar, pois parece que neste assunto a vossa posição mudou de "sim, eles serão ressuscitados" para "não, eles não serão ressuscitados", pelo menos umas 6 vezes. Isto sem incluir as mudanças por que este assunto passou no fim dos anos oitenta. Então, será que Deus os dirigiu desta maneira ziguezagueante? Querem mais exemplos de 'luz' intermitente? Que dizer do sangue e dos hemofílicos? Quantos flip-flops é que fizeram neste assunto? E já que estou a mencionar o assunto do sangue, porque é que irmãs que estão grávidas podem tomar a injeção de RH? Não é essa injeção um produto que inclui sangue? Não dizem as Escrituras "abstende-vos de sangue"?
3.  Porque é que atacam violentamente a igreja católica por esta apaziguar Hitler, quando vocês próprios tentaram fazer a mesma coisa? Porque é que as Testemunhas hoje desconhecem isto? Deviam conhecer o assunto, pois está registado por escrito no vosso Anuário de 1934. Vocês lembram-se, não? A carta dirigida a Hitler foi ratificada na convenção de Berlim onde o Juiz Rutherford foi presidente.2 Claro que num anuário dos anos setenta vocês afirmaram que não foi Rutherford que escreveu a carta.3 Que disparate! Como é que um irmão alemão, que vocês agora dizem que foi o escritor, podia redigir uma carta que incluía expressões idiomáticas americanas e frases com uma estrutura que é típica da língua inglesa? Sabem perfeitamente que foram distribuídas 2.500.000 cópias dessa carta naquela convenção. Por isso eu vou por as mãos num original de uma dessas cópias muito em breve. Especialmente agora que a minha irmã mora na vizinha Suíça. Eles têm umas bibliotecas impecáveis!
4.  Porque é que as testemunhas atuais não sabem nada acerca da 'verdade' de C. T. Russell a respeito das pirâmides e da astrologia? Porque é que vocês não são honestos nestes assuntos? Será que esperam que as Testemunhas não tenham nas mãos publicações do início do século? Acham mesmo que uma organização fundada por alguém que acreditava na astrologia, piramidologia, e que estava divorciado da sua esposa por motivo de crueldade, foi julgada por Deus em 1918 como sendo a única organização digna do seu nome? Vocês dizem que foram selecionados por Deus devido à vossa recusa em servir na I Guerra Mundial. E no entanto, através das publicações daquele tempo, vocês encorajaram a compra de ações [títulos financeiros] de guerra! E já que estamos a falar do assunto da guerra, que é isto que ouço acerca da 'nova luz' segundo a qual os irmãos agora podem aceitar serviço cívico alternativo [em substituição do serviço militar]? Que dizer de todos os irmãos que foram perseguidos, espancados e mortos devido à vossa posição anterior nesta matéria? Não foi essa vossa posição anterior, que recusava o serviço cívico, promulgada por Rutherford? Essa foi, se bem se lembram, 'nova luz' que contradisse a posição de Russell, que era exatamente a mesma que vocês estão agora a anunciar como 'nova luz'. Hmmm...
5.  Será que Jeová usa uma organização que rescreve constantemente o seu material escrito sem avisar os seus seguidores? Para mais pormenores, verifiquem a citação acima, onde C. T. Russell mudou certas frases num livro. Quantas vezes é que fizeram isto? Eu cataloguei pelo menos vinte revisões. Acham mesmo que é honesto comportar-se dessa maneira?
6.  Vocês menosprezam constantemente o clero da cristandade devido a relatórios em que eles admitem qual é o número de clérigos que estão a viver uma vida de pecado. Vocês citam os números que eles próprios, em toda a humildade e honestidade, apresentam, e no entanto vocês não divulgam qualquer informação desse tipo a respeito de anciãos, superintendentes de circuito, superintendentes de distrito, etc. Porquê? Porque não acontece entre eles? Toda a Testemunha conhece alguém em posições de responsabilidade que enveredou por uma vida de pecado. Será que é realmente honesto diabolizar o clero quando vocês não publicam nenhuns relatórios que provem a vossa suposição de que a Organização [das TJ] é melhor?
7.  No fim da década de 1950 vocês sabiam que Johannes Greber usou a sua mulher, que era médium espírita, para o ajudar na sua tradução da Bíblia. E apesar disto vocês citaram essa tradução nos anos sessenta e setenta para apoiar o modo como apresentam João 1:1 na Tradução do Novo Mundo. Depois, no princípio dos anos oitenta, vocês agiram como se nunca tivessem sabido que ele usou uma médium espírita, e disseram que não usariam mais a tradução dele. Mas vocês sabiam tudo acerca dele nos anos cinquenta, pois até escreveram sobre isso na revista Watchtower!

Isso não é honesto!

Bem, tenho de ir andando. E como vocês sabem perfeitamente, estes pontos que mencionei são 'apenas a ponta do iceberg'. Mas por razões de brevidade, termino aqui. Oro sinceramente para que um dia vocês sejam honestos e reconheçam todas estas coisas. E se vocês pensam que são apenas ex-Testemunhas que têm estas questões, estão redondamente enganados. Já alguma vez ouviram falar da AJWR? Estas iniciais significam "Associated Jehovah's Witnesses for Reform" [Testemunhas de Jeová Associadas para a Reforma]. Todos eles são atualmente Testemunhas que fizeram a mesma pesquisa que eu e chegaram às mesmas conclusões. Esperemos que um dia todas as Testemunhas tenham permissão de imitar os cristãos primitivos e possam verificar se vocês estão ou não a transmitir as 'palavras de Deus.'

Pessoalmente, penso que o primeiro exemplo que dei no princípio desta carta é suficiente para sugerir que vós sois de facto "falsos profetas". Não consigo compreender como é que alguém pode dizer que é a "promessa do Criador estabelecer um novo mundo pacífico e seguro antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914" e depois mudar essa "promessa do criador" e ainda dizer que Deuteronômio 18:20-22 não se aplica a eles. Será que as escrituras não se aplicam a todos? Bem, não posso ler as vossas mentes e corações mas, como sabem, Jeová pode!

Sinceramente,

Eric V. Hunter

 

Notas do Tradutor

1 Parece-me que aqui Eric Hunter está a confundir o caso dos 'habitantes de Sodoma' com o caso das 'autoridades superiores' de Romanos capítulo 13. Neste último caso a situação é exatamente como Eric Hunter descreve. Não tenho conhecimento de nenhuma "nova luz" que Rutherford tenha inventado a respeito da ressurreição dos habitantes de Sodoma, apesar de a WTS ter feito tantos ziguezagues neste assunto que até dá vontade de rir.
2 Parece que Rutherford planeou minuciosamente o congresso (o cântico de abertura [o n.º 64 do cancioneiro das TJ daquele tempo] tinha exatamente a mesma melodia que o hino nacional alemão), mas fugiu para os Estados Unidos antes de o congresso se iniciar. Pelo menos é isto que o Anuário das Testemunhas de Jeová de 1975 diz na p. 111: "Vários dias antes de o congresso se iniciar, o irmão Rutherford retornou aos Estados Unidos."

3 O que o Anuário das Testemunhas de Jeová de 1975 diz (p. 110, 111) é que Rutherford "preparara uma declaração junto com o irmão Balzereit", mas este último "atenuara a linguagem clara e inequívoca" do documento. Que as Testemunhas de Jeová mentiram descaradamente nesta acusação lançada contra Balzereit pode ser visto na revista Despertai! (publicada pelas TJ), edição de 8 de Julho de 1998, p. 14. Nesta revista a WTS reconhece que fez de Balzereit um bode expiatório. Balzereit era uma vítima apetecível para a WTS pois mais tarde saiu dessa religião e é facto sobejamente conhecido que as TJ não resistem a caluniar e difamar de todas as maneiras possíveis os dissidentes. Neste caso a calúnia convinha às TJ, pois desta forma tentavam lançar para cima de outros a responsabilidade por um documento muito comprometedor que comprova o seu anti-semitismo e a sua tentativa de compromisso com Hitler e com o regime Nazi.

0 comentários: